Contents tagged with Tablets

  • Tablet Lenoxx TB-50 - unboxing e mini review

    15/06/2016

     

    Há muito tempo eu estava cogitando comprar um tablet, nada top, nada caro. Não queria arriscar comprar um xing ling qualquer com garantia de 3 meses por melhor que fosse a especificação, mesmo porque os problemas mais comuns que vejo são duração da bateria e responsividade da tela não aceitável (lags e/ou qualidade da touch screen, mesmo quando capacitiva) e não teria a quem recorrer sobre esses problemas (loja).

    Então há alguns dias uma surpresa, não estava nem pensando em comprar no momento, mas encontro sem querer em um Shoping (aglomerado de lojas) no bairro onde moro, exposto na vitrine, um iPobre, classificação minha para um "iPad" não-Xing Ling, algo como Coby e outras marcas, um que não seja Samsung Galaxy Tab ou outros.

    Sobre o tal iPobre, um tablet Lenoxx TB-50 de 7". Considerando que a especificação me atendia, o valor idem (300 reais), parcelamento em 10 vezes e 1 ano de garantia, comprei-o-o.

    Especificações

    • Sistema Operacional Android 4.0.4 - na caixa 4.0.3;
    • Memória Flash interna 4 GB - sobram menos de 2GB para uso;
    • Memória RAM interna 1 GB (!) - na caixa 512 Mb (DDR3);
    • Processador Boxchip A13 (Cortex A8) single core de 1.2GHz - mas o Android acusa 1GHz.
    • GPU Mali 400.
    • Tela 7” Capacitiva (Multi Toque - 5 Toques);
    • Resolução da tela 800 X 480;
    • Câmera frontal apenas com resolução 640x480;
    • Entrada para cartão Micro SD (Expansivel até 32 GB) - não vem nenhum (iPobre);
    • Saída P2 para fone de ouvido - não vem nenhum (iPobre);
    • Sensor de gravidade - o famoso acelerômetro para orientação da tela;
    • WiFi 802.11b/G/N;
    • Alto falante integrado de 1,3w RMS;
    • Dimensões (A X L X P) 12 x 19,5 x 1 cm.

    Vou pular a parte sobre o que ele pode ou não abrir (PDFs, arquivos do Office e etc), reproduzir em vídeos e áudio e etc, nada que não seja possível instalando um software como o MX Player e Quick Office.

    Prós

    • Memória 1GB ao invés de 512MB anunciada.
    • Android 4.0.4 ao invés de 4.0.3 anunciado.
    • Root de fábrica.
    • Marca, procedência (lojas Americanas, Lenoxx Brasil, algum lugar para reclamar em caso de problema), preço, parcelamento e garantia de 1 ano.
    • Boa "pegada", tamanho padrão de tablets 7" que não tem as bordas grosseiras.
    • Enxuto sobre aplicativos pré-instalados, só os básicos (agenda, calculadora e etc), nenhuma customização exceto a tela de boot da Lenoxx.

     Contras

    • Não tem bluetooth. Pode parecer sem uso, mas é mais prático transferir arquivos por ele. Existem algumas opções de transferência por WiFi, mas nem se comparam sobre praticidade. Ver atualização de [22 out 13].
    • Não tem sensor de proximidade. Me pergunto pra que, a única utilidade seria para os programas que usam para alguma finalidade como os tocadores de música que usam como recurso para mudança das trilhas.
    • Não tem GPS.
    • Não tem 3G.
    • Não tem saída HDMI (iPobre - isso já me fez falta).
    • Ausência de leds indicando por exemplo que a bateria está acabando.

    Experiências de Uso

    • A duração da bateria está no tempo esperado. Meu filho pequeno vive assistindo Galinha Pintadinha nele, após uma carga de 100% e assistir 40 minutos de vídeo usa cerca de 15% da bateria. Mantém a média de 4 horas de uso intercalando uso de Internet, jogos, vídeos e etc. Costumo deixar o WiFi desligado quando não vou usar nada da Internet.
    • Não fiz comparação de tempo em stand by. Ver atualização de [28 out 13].
    • Quando totalmente desligado dura vários dias com uma carga.
    • No uso geral a interface tem se mantido bem fluída, lags mínimo no uso de programas e navegação. 
    • Percebi diversos locais na interface, apenas na parte de configurações aparentemente, com textos em inglês ao invés de português como todo o resto.
    • Nao sei se é algum problema de o processador ser single core com Android 4, mas podem ocorrer engasgos, lags em algumas situações. Percebi isso apenas quando baixando e instalando aplicativos da Play Store ao mesmo tempo que usando para outras coisas, mas no geral, não vejo isso ocorrer. Creio que possa estar relacionado ao acesso ao drive para instalação ser mais intenso o uso do processador.
    • Não testei jogos pesados como de tiro em primeira pessoa (FPS), apenas jogos como Angry Birds e outros um pouco mais pesados. 
    • A borda direita da tela direita tem uma particularidade, não sei se é falha do projeto ou característica desse meu que comprei. Um pouco abaixo da borda preta de acabamento existe uma parte da tela que é visível mas que está embaixo do acabamento, não dá para tocar, mas não vi necessidade disso também.

    Creio que sobre conexão 3G por ser Android a única necessidade deve ser o driver para o modem.

    Vídeos Unboxing:

    Site oficial do produto.

    Apesar de ser um produto Lenoxx no Brasil ele é na realidade mais um produto existente que a empresa, Lenoxx, apenas imprimiu a marca, como neste link vemos vendendo fora do Brasil.

    Atualizações:

     

    [28 abr 13] Havia um problema de "congelamentos" incostantes fazendo com que o aparelho não respondesse ou então aparecesse a famosa pergunta se deseja Aguardar ou Finalizar, resolvido com um reset de fábrica.

    [3 mai 13] Captura de tela das configurações reais do tablet (versão do kernel e etc).

    [22 out 13] A falta de Bluetooth é completamente sanada usando a troca de arquivos via WiFi com o ES File Explorer, ou outro que permita troca de arquivos na mesma rede.

    [28 out 13] Na semana passada eu esqueci ligado o aparelho, quero dizer, apenas em stand by (apenas tela desligada), me recordo de que a carga não estava a 100%, a WiFi estava desligada também, então quando fui usar e a bateria estava com mais de 60% de carga. Parece pouco, mas para um dispositivo barato achei que durou bastante.


    Dica: se não tem um hotspot onde conectar (roteador sem fio) use um dos aparelhos como Host WiFi e ou outro se conecta nele, mesmo que não haja rede de dados para compartilhar isso fará com seja criada uma rede sem fio entre eles permitindo o uso de qualquer recurso de rede.


  • Os e-readers estão perto do fim? Analistas acreditam que sim

    15/06/2016

    Declínio de 36% no mercado desses dispositivos em 2012 significa que ele nunca irá se recuperar, dizem especialistas

     
    Analistas estão assinando uma sentença de morte para os e-readers, que caíram 36% em 2012 com os compradores preferindo os tablets multiuso.
    Ambos IHS Suppli e IDC recentemente emitiram alertas terríveis – se não obituários – para os e-readers. A consultoria IHS disse que esses dispositivos terão uma queda de 36% nas vendas para varejistas em 2012 em comparação ao ano passado, e prevê outra contração de 27% em 2013.
    Na semana passada, a IDC disse que as vendas em 2012 irão diminuir 28% em relação a 2011. O impacto dos tablets multiuso com uma experiência de leitura "boa o suficiente" significa que a IDC espera que os e-readers cheguem a apenas 19,9 milhões de unidades vendidas em 2012, ante 27,7 milhões em 2011.
    A IHS caracteriza a queda mais dramaticamente. "O mercado leitor de ebooks está em um declínio alarmante por conta dos tablets", escreveu Jordan Selburn, analista da IHS.
    Selburn disse que 2011 parece ter sido o pico do mercado de e-readers, quando a IHS disse que 23,2 milhões desses dispositivos foram vendidos, em comparação aos 14,9 milhões em 2012. Em 2016, Selburn disse que só 7,1 milhões e-readers serão vendidos, o equivalente a uma perda de mais de 66% desde 2011.
    O declínio está ocorrendo mesmo após as lojas de e-readers da Amazon e Barnes & Noble terem chegado ao mercado em 2012.
    As duas consultorias concordaram em um ponto: e-readers estão provando que não são páreos para os tablets, que estão desfrutando de um crescimento incomparável - em grande parte graças ao iPad, que fez a sua primeira aparição em 2010, disse Selburn.
    A IHS disse que 120 milhões de tablets serão vendidos em 2012, enquanto a IDC aposta em 122,3 milhões. Em 2016, a IHS prevê a venda de 340 milhões, enquanto a IDC, 282,7 milhões. Os tablets podem funcionar como e-readers de e-mail e e-books, mas são mais caros por conta dos recursos extras de navegação na internet e reprodução de filmes, enquanto os e-readers são dispositivos dedicados, por isso custam menos.
    "O aumento impressionante da procura por e-readers e depois sua queda drástica resume perfeitamente o que se tornou uma verdade incontestável na indústria: consumidores estão substituindo sem remorso seus dispositivos de única tarefa, como os e-readers, por seus equivalentes multifuncionais, os tablets", disse Selburn.
    Outros aparelhos dedicados, como câmeras digitais, sistemas de GPS e MP3 players, enfrentam fracas perspectivas e pressões semelhantes no mercado, mas tiveram mais anos de vida do que os e-readers, "demonstrando ainda mais a profundidade da queda dos leitores de e-books", acrescentou Selburn.
    O analista da IDC, Ryan Reith, disse que "as pessoas adorariam ter um smartphone, um e-reader, um tablet e um notebook, mas, na realidade, temos que perceber que os consumidores geralmente não podem se dar ao luxo de comprar todos esses dispositivos." Ainda assim, os e-readers são mais baratos e servem a um propósito específico, "então eles certamente estarão no mercado por mais um longo tempo, mas seu crescimento será muito limitado".

    Origem: http://idgnow.uol.com.br/ti-corporativa/2012/12/13/os-e-readers-estao-perto-do-fim-analistas-acreditam-que-sim/
     

     Se as empresas que pesquisam sobre eInk fossem direcionadas por artigos amadores como esse nunca nem teriam sido lançados os primeiros Kindles ou outros semelhantes.
    EReaders não irão acabar, mas precisam baratear, mas isso só com o tempo, o motivo é simples, a tecnologia da eInk trás mais benefícios que qualquer Tablet (mesmo iCoisas) que tente imitar por que estes nunca conseguirão fazer o mesmo, e nunca é válido aqui pois são para objetivos diferentes, seria o mesmo que comprar um helicóptero com um jato.
    EReaders são mais leves, consomem muito menos bateria e especializados com o objetivo único de leitura, otimizados para tal (eInk), apesar de Amazon e outras tentarem levar para outro lado, mas isso ocorre de forma limitada. Só que justamente ele ser para objetivo único tem um porém, são mais lentos, pela eInk o refresh rate da tela não é bom (sombras), os aparelhos touchs tem maior tempo de resposta, mas para o que foram feitos são ótimos.
    Tablets tentam imitar, mas por mais que melhorem a qualidade da tela não adianta, é mais rápido (desnecessário para um eReader), tem bateria com durabilidade (mas não chega aos pés de um eReader), fora que costumam ser mais pesados.


  • 5 coisas em que os e-readers são melhores que os tablets

    15/06/2016

    5 coisas em que os e-readers são melhores que os tablets 

    Por - 21 dez, 2012 - 04:57

    Com a chegada dos tablets, os e-readers estão enfrentando algumas dificuldades. As vendas dos leitores digitais têm caído ano após ano. No entanto, ainda há muitos motivos para preferir um e-reader a um tablet. Aqui vão alguns.

    Eles são baratos

    Sim, claro, você pode encontrar tablets muito baratos por aí. Mas, se comprar, irá odiá-los, de tão ruins que são, e irá odiar a si mesmo por ter comprado um. Mesmo assim, para comprar um tablet razoável, você gastará em torno de R$700.

    Enquanto isso, um Kindle custa R$299. Já um Kobo sai por R$399. Bem mais barato, não?

    Eles são imersivos

    Ler um livro num tablet é como plantar bananeira no metrô: é possível, mas tem muita coisa atrapalhando. Vamos falar a verdade: por mais que você ame o que está lendo, você também adora checar seu e-mail. Notificações, tweets, mensagens, até mesmo o relógio; tudo isso faz dos tablets excelentes máquinas multitarefas e péssimos equipamentos para leitura.

    Claro, há browsers experimentais e joguinhos para dispositivos e-ink, mas os e-readers fazem apenas uma coisa bem. A única coisa que você vai gostar de fazer com ele é ler. O que é uma bênção.

    Eles são melhores para se olhar

    As telas de LCD dos tablets não danificam seus olhos, claro, mas fazem você esforçar mais a vista. As telas Retina tornaram os tablets mais suportáveis, mas ainda é doloroso passar muito tempo olhando para elas. Se você gosta de passar horas lendo, um iPad vai ser bem ruim.

    E-ink? Não é nada. Completamente neutro. Não cansa sua vista nem dá reflexo. É um alívio, dado o tempo que passamos olhando para computadores e smartphones.

    Eles são adaptáveis

    Ler num lugar ensolarado durante um dia agradável é ótimo. E é uma coisa que você consegue fazer melhor com um e-reader, já que o e-ink não reflete a luz do sol.

    E também nas situações em que você precisa de iluminação, um e-reader com luz própria é bem melhor que um tablet. Este último vai deixar seu quarto completamente iluminado, enquanto o primeiro tem um brilho bem mais contido. A pessoa com quem você divide o quarto agradece.

    Eles duram

    Tablets podem fazer várias coisas: apps, games, streaming de vídeo… mas, para isso, você precisa de duas coisas: desempenho e espaço. E, como tudo vai ficando cada vez mais sofisticado, você precisa de cada vez mais de seu aparelho. O primeiro iPad não tem nem três anos e já está quase obsoleto.

    E-readers? Eles têm espaço para mais livros do que você irá ler na sua vida. As telas já funcionam tão bem quanto você precisa. Novos modelos vão aparecer, claro, com algumas melhorias aqui e ali. Mas o e-reader comprado hoje estará perfeitamente bom para uso daqui a quatro anos. Não dá para falar isso de nenhum tablet.

    Não estamos dizendo que você deve deixar de comprar um tablet para comprar um e-reader. Mas não pense que, comprando um primeiro, você não precisa do último. E-readers são legais, baratos e não ficam ultrapassados.

    Origem: www.gizmodo.com.br/5-motivos-ereaders